O que é quelóide?

Quelóides são cicatrizes "defeituosas" com aspecto avermelhado e elevado, que coçam e crescem além da cicatriz original. Não melhoram com o tempo e tem um tratamento que pode requerer a retirada cirúrgica da cicatriz queloideana e um tratamento adjuvante chamado Roentgenterapia ou Betaterapia para prevenir sua reaparição.

Casos mais brandos de hipertrofia da cicatriz podem ser tratados inicialmente com o uso de corticóides em creme, curativos com silicone e massagens, muitas vezes com grande melhora e sem necessidade de revisão cirúrgica.

Se a paciente já tem quelóides em outra região e quer fazer uma cirurgia, deve refletir muito sobre isso e esse tópico deve ser discutido exaustivamente durante as consultas de avaliação. 

queloidequeloide

 

O que é deiscência?

Deiscência é a abertura espontânea dos pontos de determinada área operada e é mais comum nas cirurgias de mama, mas pode ocorrer em qualquer cirurgia.

Pode ser causada por tensão excessiva nos pontos, edema pós-operatório intenso, pouco repouso nas primeiras semanas após a cirurgia, deficiência de nutrientes (pacientes após grandes emagrecimentos) ou infecção.

O tratamento consiste em curativos, que propiciam a cicatrização do local. Em alguns casos pode ser necessário a re-sutura da região sob anestesia local. Na maioria dos casos não há comprometimento do resultado estético da cirurgia.

O que é seroma?

Seroma é a formação e acúmulo de um líquido amarelo claro na área da cirurgia. Ocorre mais em pacientes que operam-se estando acima do peso, pois é em parte composto por gordura que se liquefaz após a cirurgia. O tratamento consiste na drenagem seriada e no uso de antibióticos quando necessário. O quadro não é grave e resolve-se na maioria dos casos no primeiro mês pós-operatório.

O que é trombose venosa profunda? Por que ela acontece?

Trata-se da formação de um coágulo nas veias das pernas (geralmente é unilateral), que é causada pela imobilização do paciente na cama por muitas horas ou dias. A trombose pode acontecer mesmo em uma pessoa que não foi operada e que fique acamada por muito tempo ou até após uma viagem longa de avião, onde a pessoa fica muitas horas sentada sem se movimentar.

É uma complicação descrita em todas as especialidades cirúrgicas, incluindo a cirurgia plástica, sendo sua incidência baixa, girando ao redor de 0,01%. Acontece mais freqüentemente em cirurgias ortopédicas de membros inferiores e nas cirurgias ginecológicas.

Existem fatores predisponentes que incluem idade avançada, varizes, uso de anticoncepcionais ou terapia de reposição hormonal, alterações genéticas na coagulação do sangue, tratamento para câncer, cirurgias prolongadas entre outras.

Medidas preventivas incluem a utilização de botas e perneiras que comprimem intermitentemente as panturrilhas durante e após a cirurgia e a deambulação precoce (dia seguinte à cirurgia). Outras formas de prevenção incluem a utilização de heparinas que afinam o sangue, mas que podem causar sangramentos pós-operatórios e intra-operatórios.

 

Atualmente a maioria dos hospitais possuem uma aparelhagem que realiza a compressão intermitente das pernas durante a cirurgia, o que segundo diversos estudos diminui muito a incidência de trombose venosa nos membros inferiores.